sexta-feira, 16 de novembro de 2012




Quando há medo de ir embora, é porque vale apena ficar. Quando não temos medo da despedida é porque já fomos embora faz tempo...

23 comentários:

  1. Fato! Me deixou a pensar...Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Hum... há controvérsias...

    Feliz fim de semana.
    Beijos e flores com aroma do campo.

    ResponderExcluir
  3. Lindo!!
    Beijos e flores com aroma do campo.

    ResponderExcluir
  4. Belíssimo Tamires! E a imagem é muito delicada, tem tudo a ver com o post.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Estou a pensar,pensar ...
    Lindo fim de semana
    bjs
    KK

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Olá Tamires, e que tudo esteja bem contigo!

    Eu também acredito que seja desta maneira, belo e sábio pensamento expresso cá neste teu encantador espaço. E também lindas imagens, parabéns pelo blog deveras belo!
    E aproveitando que por cá estou, agradeço por tua gentil visita e comentário e desejo que tenha um viver de intensa felicidade, abraços e até mais!

    ResponderExcluir
  8. Fiquei super feliz com sua presença. Obrigadaaa!
    Será sempre bem vinda!
    Concordo com a frase.
    Beijos e ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  9. É verdade. As vezes quando partimos fisicamente, o nosso coração já estava de malas prontas. E não adianta ficar quando queremos seguir outros caminhos. E que venha o novo que é o que modifica a nossa história.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga

    E que este medo,
    nos ensine
    a cuidar do amor
    que nos abraça
    com suas mãos
    de vida...

    Que haja sempre
    sonhos por sonhar.

    ResponderExcluir
  11. Vengo del blog de Mary, dependentwomen, y me ha encantado tu Rincón; por lo cual, si no te importa, me gustaría ser Seguidor de tan bello Espacio, lleno de Sensaciones y Fantasías.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  12. Imagem interessante, palavras refletivas!
    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  13. Observado pelo mundo ficou ausente o meu nome
    Dispersos pedregulhos de silêncio empurrara-me o ficar
    Insondáveis são as teias da maldade
    Levanto-me todas as manhãs ausente do amar

    Na passagem, vi a memória ausente dos teus olhos
    Respiro uma estação já morta
    No êxodo das manhãs escrevo a raiva
    Há um castelo azul com o azar preso à porta

    Uma criptoméria tomba contra a fundura do tempo
    Escrevo para que não oiçam o clamor desta nua alma
    Escrevo para ninguém que se ache nestas palavras
    Escrevo para que nunca esmoreça esta minha chama

    Bom fim de semana


    Doce beijo


    ResponderExcluir
  14. Verdade absoluta! Fiquei refletindo. Abraços

    ResponderExcluir
  15. Bonito!!!!
    Besos, desde España, Marcela♥

    ResponderExcluir
  16. Concordo plenamente! :)

    Obrigada pela visita ao meu cantinho, seja sempre bem-vinda lá!

    Abraço

    ResponderExcluir
  17. Hermosa frase con mucho sentido, y sentimiento.

    Beijos.

    ResponderExcluir

:)